A Cidade

Cidade de ÉVORA, cidade histórica no coração do Alentejo, é herdeira de um rico e variado património cultural, construído e preservado ao longo do tempo. Fundada pelo povo romano e por este denominada Ebora Liberalitas Iulia, a cidade foi a praça-forte que alicerçou, noAlém-Tejo, a formação do novo reino de Portugal durante a Reconquista cristã peninsular do séc. XII.
Vários reis aqui fixaram a sua corte, particularmente no período das descobertas marítimas, época em que, orgulhosamente, exibiam títulos e senhorios de terras tão distantes como a Guiné, Etiópia, Arábia, Pérsia e Índia.
O património histórico e artístico que hoje se preserva na cidade resultou em boa medida dessa longa permanência da monarquia portuguesa. O conjunto monumental que esses tempos áureos legaram à cidade, em harmonia com o tecido urbano de cariz popular, estão na base da classificação de Évora como Património Cultural da Humanidade, desde 1986.
Além deste património único no país, a região em torno de Évora tem muito mais para oferecer ao visitante. É o caso da singular paisagem arqueológica megalítica, uma das mais antigas e monumentais da Europa, perfeitamente integrada na paisagem rural envolvente, de que o recinto megalítico dos Almendres é o expoente máximo.
Seja no entretecido das ruas medievais, na exuberância de palácios, mosteiros e igrejas, nos espaços de convívio e de degustação dos requintados paladares da cozinha tradicional, Évora esconde o encanto próprio das cidades antigas. Mas sobre essa matriz histórica ela reassume-se, novamente, como pólo de desenvolvimento regional face aos grandes desafios do futuro através da criação de grandes equipamentos, da aposta na qualificação de produtos e serviços de excelência na área do Turismo, da intensa oferta cultural, a par da criação de infra-estruturas urbanas que dão prioridade ao bem estar dos seus habitantes.
Por todas estas razões o turista, e visitante, encontrará em Évora um excepcional património cultural, coexistindo, em harmonia, com os melhores padrões de qualidade de vida do país.Motivos sobejos para não deixar de a conhecer e descobrir … e, seguramente, desejar voltar.
(C.M.E. DPT - Divisão de Promoção Turística)

Notícias

28 de Novembro – 10.00 h - “Ciência e Sociedade”

Oradores: João Ferrão e Viriato Soromenho Marques

Moderador: Teresa Pinto Correia

29 de Novembro – 9.30 h - “Riscos e Sociedade” e "Riscos e Alterações Climáticas"

Oradores: José Luís Zêzere e Filipe Duarte Santos

Moderador: Lúcio Cunha

Sessão Temática (autónoma): “Conflito e Território”

Organização: João Mourato; Paulo Morgado